Santuário

12.03
Papa: não desencorajar diante dos limites, pecados e fraquezas
Papa: não desencorajar diante dos limites, pecados e fraquezas

Na reflexão que antecedeu a oração do Angelus deste domingo, 11, IV Domingo da Quaresma, o Papa Francisco deixou uma mensagem de encorajamento aos fiéis, inspirada no Evangelho de São João, proposto pela liturgia do dia.

“A alegria e a salvação são o centro do anúncio cristão, pois quando a situação parece desesperadora, Deus as oferece ao homem, pois não está separado dele, mas entra na história da humanidade, envolve-se na nossa vida, entra, para animá-la com a sua graça e salvá-la”, afirmou o Papa.

Segundo ele, é necessário estar atento para escutar este anúncio, rejeitando a tentação de considerar-se seguro de si mesmo e deixar Deus de lado, reivindicando uma absoluta liberdade d’Ele e da sua Palavra.

O Santo Padre explicou que é preciso coragem para reconhecer-se por aquilo que é. “E quando nos deparamos com nossos pecados e fraquezas, pode acontecer de sermos tomados pela angústia, pela inquietação pelo amanhã, pelo medo da doença e da morte”, observou.

“Nós devemos sim reconhecer os próprios limites e fragilidades, mas não para nos desesperar, mas para oferecer ao Senhor e Ele nos ajuda no caminho da cura, nos leva pela mão, mas nunca nos deixa sozinhos”, destacou Francisco.

“Quando somos verdadeiros cristãos, mesmo diante das tristezas, existe aquela esperança que é uma pequena alegria que cresce e te dá segurança. Nós não devemos nos desencorajar quando vemos os nossos limites, os nossos pecados, as nossas fraquezas. Deus está ali, Jesus está na cruz para nos curar. Este é o amor de Deus. Olhar para o Crucifixo e dizer dentro: «Deus me ama»”.

Ao concluir, o Pontífice invocou a proteção de Maria, Mãe da Misericórdia, para que “coloque em nossos corações a certeza de que somos amados por Deus. Que esteja próxima de nós nos momentos em que nos sentimos sozinhos, quando somos tentados a nos render às dificuldades da vida. Nos comunique os sentimentos de seu Filho Jesus, para que o nosso caminho quaresmal torne-se experiência de perdão, de acolhida e de caridade”.

Por fim, ao saudar os fiéis e peregrinos presentes na Praça São Pedro, o Papa Francisco dirigiu-se à comunidade brasileira residente em Roma e que marcou presença no tradicional encontro dominical com bandeiras do Brasil.

Fonte: Amex, com Rádio Vaticano

Informativos