Santuário

Santuário
São Miguel Arcanjo

A exclamação “Quem como Deus?” É um grito de humildade e de obediência em defesa dos direitos divinos e consta cinco vezes na Sagrada Escritura: Dn 10,13; 10,22; 12,1; AP 12,7; Jd 9. Várias funções são atribuídas a Miguel, mas a principal é a de protetor da Igreja e defensor dos cristãos. O arcanjo é quem reivindica os direitos inalienáveis de Deus. É um dos príncipes do Céu, o protetor de Israel e, agora, do novo povo de Deus: a Igreja.

Miguel vem representado na Bíblia como o grande lutador contra o Dragão: a história da queda do primeiro anjo, que foi seduzido pela ambição de se tornar como Deus. Daí a reação do Arcanjo de reivindicar a unidade de Deus e sua inviolabilidade. Em todas as lutas, São Miguel está ao lado da Igreja para defendê-la. A essas lutas nos reporta a figura do Arcanjo Miguel, a quem a Igreja, seja, no Oriente quanto no Ocidente, nunca cessou de tributar um culto especial.

São Francisco de Assis repetia frequentemente que devemos honrá-lo em modo mais solene, porque é responsável pela apresentação das almas a Deus. Por isso, entre a festa da Assunção e a sua, jejua-se com a máxima devoção quarenta dias. E dizia: “cada um, para a honra do tão glorioso príncipe, deveria oferecer a Deus uma homenagem de louvor ou qualquer outro presente particular”.

Fonte: Devocionário a São Miguel Arcanjo – 65ª edição – Editora Canção Nova

Informativos